Ordem do Mérito Industrial de SC reforça o protagonismo de empresários

Seis industriais foram homenageados pela Fiesc

A comenda catarinense foi entregue aos empresários Antônio Deoclesio Pavei, Daniela Tombini, Eduardo Ernesto Zortéa, Felipe Hansen e Walter Osli Koerich. Cesar Gomes Junior recebeu a Ordem do Mérito Industrial da CNI

A solenidade de entrega da Ordem do Mérito Industrial de Santa Catarina foi marcada por momentos de emoção e aplausos, homenagem ao protagonismo do industrial e das mulheres, além da crença no potencial que o Brasil oferece para crescer, apesar dos desafios no cenário internacional e interno, que precisam ser superados. O evento foi realizado pela Federação das Indústrias (Fiesc), nesta sexta-feira (24) em Florianópolis, com a participação de cerca de 400 pessoas, entre lideranças industriais e políticas. No encontro também foram reconhecidos, por tempo de filiação à Fiesc, 12 sindicatos industriais (confira abaixo).

“Hoje, por meio da Ordem do Mérito, fazemos a justa – e necessária – distinção às pessoas que fazem a indústria ser o motor do desenvolvimento catarinense. Além do sucesso empresarial, eles têm um histórico de envolvimento com suas comunidades. Juntas, as indústrias que eles dirigem representam o sustento de milhares de famílias catarinenses”, afirmou o presidente da entidade, Mario Cezar de Aguiar. A comenda catarinense foi entregue aos empresários Antônio Deoclesio Pavei, Daniela Tombini, Eduardo Ernesto Zortéa, Felipe Hansen e Walter Osli Koerich. O empresário Cesar Gomes Junior recebeu a Ordem do Mérito Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Ele ressaltou que Santa Catarina tem uma das indústrias que, sob diversos aspectos, está entre as mais desenvolvidas do país. “Nosso parque fabril é diferenciado, diversificado e está distribuído por todas as regiões”, afirmou. Ele também defendeu a reindustrialização do Brasil. “Mas, para isso, além de enfrentar o problema da infraestrutura, precisamos destravar as reformas estruturais, ter um sistema tributário mais inteligente, com menos burocracia e um Estado mais enxuto e eficiente. E, não menos importante, uma política industrial clara e robusta”, declarou. Emocionada e aclamada diversas vezes pela plateia, Daniela Tombini discursou em nome dos homenageados e salientou a força das mulheres. “É com muita honra que hoje também represento a força da empresária catarinense. Temos uma indústria forte, de característica familiar e, desde o início, sempre contamos com mulheres protagonistas. Sozinhas ou ao lado de seus esposos, constituíram famílias e indústrias que, muitas vezes, se fundiam como se fossem uma única organização”, disse.

Ela fez referência a duas personagens emblemáticas da indústria catarinense: Johanna Altenburg e Adelina Hess de Souza, ambas do setor de confecção, ambas viúvas e tendo o desafio de criar seus filhos. “Elas empreenderam e do seu trabalho surgiram grandes e reconhecidas empresas-símbolo da força da nossa indústria e da capacidade empreendedora dos catarinenses. Johanna criou uma empresa hoje centenária, e Adelina deu continuidade aos negócios que fundara ao lado do marido”, lembrou Daniela.

Cesar Gomes Junior, que recebeu a comenda máxima da indústria nacional, demonstrou seu otimismo com o Brasil, apesar do cenário de incerteza mundial, que afeta toda a cadeia produtiva. “O quadro brasileiro também está contaminado com essa realidade internacional, vive um contexto de inflação e juros altos. Nosso papel, nesse momento, não se resume a criticar. Pelo contrário. Temos de acreditar em nosso potencial e participar das soluções. O Brasil, no cenário mundial, é um dos mais competitivos”, ressaltou. Ele disse que o mundo vai passar por ajustes e que isso abre oportunidades. “O Brasil, comparativamente às demais economias emergentes, é uma das melhores opções. Temos oportunidades excepcionais, apesar dos problemas que temos para resolver”, completou.

Em seu pronunciamento, o vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Gilberto Petry, declarou que o Brasil não pode mais adiar a adoção das medidas necessárias para aumentar a resiliência às crises externas e retomar o caminho do crescimento econômico sustentado. “Nossa prioridade deve ser a aprovação de uma reforma ampla da tributação sobre o consumo, que elimine as distorções, simplifique o sistema de arrecadação de impostos e desonere as exportações e os investimentos”, afirmou ele, que na solenidade representou o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Perfil dos homenageados

Antônio Deoclesio Pavei
Fundador da Construtora Pavei, Antônio é natural de Araranguá e, quando jovem, trabalhou com os pais e seus oito irmãos na agricultura familiar. Ingressou no segmento da construção civil como servente de pedreiro há 50 anos e, atualmente, já responde por mais de cem empreendimentos residenciais e comerciais em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Seus cinco filhos atuam nos negócios da construtora e serão seus sucessores. Ligado à lida no campo, o empresário mantém ainda uma fazenda com plantação de soja na Bahia, empreendendo também no agronegócio. Atuante na defesa da indústria, por meio do Sinduscon, Pavei conduziu um dos maiores projetos sociais do sindicato em parceria com o Bairro da Juventude. A instituição que atende jovens em situação de vulnerabilidade passou a oferecer formação profissional. Atualmente, a Construtora Pavei emprega 400 profissionais e é uma das maiores apoiadoras do Bairro da Juventude, oferecendo apoio financeiro e voluntariado em diversas frentes do projeto.

Daniela Tombini
A empresária de Caçador iniciou a vida profissional com a confecção de chinelos artesanais produzidos em casa. Em 1993, ela fundou a empresa que leva seu nome. Foi a primeira no Brasil a confeccionar chinelos laváveis à máquina e com solado antiderrapante. Atualmente, além dos chinelos atoalhados, a indústria produz robes, pijamas, moda íntima, moda casual, fitness e tem como mote “vestir a mulher 24 horas por dia”, com uma produção de 900 referências em cada coleção. A empresa conta com mais de 300 colaboradores diretos e seus produtos são vendidos em todo o país por uma rede de representantes. A marca possui ainda seis lojas-conceito no Sul do país. Daniela Tombini tem reconhecida atuação em projetos sociais da comunidade. No início da pandemia mobilizou um grupo de voluntários para a confecção de EPIs. No total foram doados mais de 10 mil jalecos e 40 mil máscaras para entidades de Caçador e região.

Eduardo Ernesto Zortéa
Engenheiro civil formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Eduardo nasceu em Capinzal e é um dos oito filhos de Ernesto e Elis Zortéa. Seu pai era construtor, investiu em loja de materiais de construção, lavouras e na criação de armazéns para receber grãos. Seguindo os passos do pai, Eduardo empreendeu e consolidou-se na área de estruturas metálicas portuárias, criando a Estrutural Zortéa. A empresa conta hoje com mais de 370 funcionários em um parque fabril com área construída de 14 mil metros quadrados. O moderno parque fabril de estruturas metálicas tem capacidade produtiva de até 700 toneladas mensais. É detentora de patente para sistema de carregamento de barcaças em píer flutuante. Eduardo desenvolveu ainda a plantadeira Genius, a única do mercado que possibilita plantio sem parar e se ajusta a todos os solos, disponível também para as culturas de inverno. A família sempre está envolvida em atividades locais. Eduardo foi presidente do Lions Clube de Campos Novos e faz questão de contribuir com diversas entidades da cidade, mas sempre no anonimato.

Felipe Hansen
Natural de Joinville e neto de João Hansen Junior, fundador da Tigre, Felipe Hansen atualmente preside o conselho de administração da Tigre. A companhia está presente em cerca de 30 países e conta com mais de 5 mil funcionários. Em sua gestão, a empresa passou a ser reconhecida pelo seu modelo de governança corporativa, além de experimentar uma nova fase de crescimento, com importantes movimentos: a criação da Juntos Somos Mais, parceria com Votorantim e Gerdau em 2019; a aquisição em 2021 da Dura Plastic, importante player americano; e a capitalização da empresa, com a emissão de debêntures em novembro de 2021, além de, num movimento estratégico, realizar a venda de 25% da participação do capital, em fevereiro de 2022. Na condição de presidente da CRH, holding que controla o Grupo Tigre, lidera a construção do Cidade das Águas, bairro inteligente de Joinville, em parceria com o Grupo Pedra Branca (Palhoça), além de projetos em Campinas, Gaspar, Campo Alegre e Condomínio Comercial localizado na BR-101 em Joinville, totalizando em uma área de 2 milhões de metros quadrados em projetos. Hansen preside o Instituto Carlos Roberto Hansen, braço social do Grupo Tigre, que soma R$ 65 milhões investidos em mais de sete mil projetos sociais que beneficiaram 5,5 milhões de crianças e adolescentes.

Walter Osli Koerich
Nascido em São José em 1934, Walter é um dos 11 filhos de Eugênio Raulino Koerich, uma das famílias mais tradicionais e empreendedoras de Santa Catarina. Os negócios da família tiveram seu início em 1955, no segmento de secos e molhados, seguido com uma fiambreria e logo, os supermercados, as lojas de varejo (Koerich Gente Nossa, Kilar e Dular), a primeira revendedora Volkswagem de Florianópolis (Koesa), a concessionária Honda Duas Rodas (Kimoto), o Consórcio Koerich, além das construtoras Zita e Koerich Imóveis e outras sociedades, como a Macedo Koerich e Kobrasol. Em 1993, ano da inauguração do Beiramar Shopping, a família Koerich promove uma cisão na empresa, quando Walter passa a focar no segmento da construção civil. Em 2009, junto com os irmãos Orlando e Antônio, Walter fundou a WOA Empreendimentos Imobiliários. Em 2016, a companhia passou por um trabalho de reestruturação de imagem e ganhou o nome de WKoerich e mais recentemente, em 2020 e 2021, o LK Design Hotel e K-Platz Hotel respectivamente, são inaugurados e hoje a WKoerich emprega 700 colaboradores. Um dos projetos mais recentes que contou com a participação de Walter Koerich foi o Mocotó Cor – Beleza Transformando Vidas, em parceria com o Instituto Vilson Groh, no qual foram pintadas mais de 100 casas, além de revitalização das escadarias, criação de uma galeria de arte urbana, instalação de playground e lixeiras. A WKoerich mantém 29 espaços públicos em Florianópolis e São José.

Ordem do Mérito Industrial da CNI

Cesar Gomes Junior
Nascido em Florianópolis e formado em administração pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Esag) e pela Harvard University, o empresário preside o conselho de administração da Portobello S/A, empresa fundada pelo seu pai. Júnior iniciou a carreira profissional quando os negócios da família eram ligados à produção de açúcar. Ao migrar para o segmento cerâmico, o empresário passou a atuar na empresa visando a internacionalização da companhia. A empresa de Tijucas emprega mais de 4 mil colaboradores, produz anualmente 30 milhões de metros quadrados de cerâmica e tem receita bruta de R$ 1,4 bilhões. De acordo com a companhia, 99,9% dos resíduos gerados na produção são ressignificados ou reciclados, promovendo uma economia circular e responsável. Em 2020, a indústria implementou o Coletivo Solidário na rede Portobello Shop, com ações sociais como Campanha do Agasalho, Dia das Crianças, Natal Voluntário e Doação de Sangue.

Sindicatos homenageados por tempo de filiação à FIESC:

Diamante 50 Anos de Filiação
Sindusmobil Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul
Sindimet Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico de Joinville
Sigraf Sindicato das Indústrias Gráficas de Joinville
Simovale Sindicato da Indústria Madeireira e Moveleira do Vale do Uruguai

Prata 30 Anos de Filiação
Siecesc Sindicato da Indústria de Extração de Carvão do Estado de Santa Catarina

Bronze 25 Anos de Filiação
Sindivest Sindicato das Indústrias do Vestuário, Fiação, Tecelagem, Calçados e Couro do Alto Uruguai Catarinense
Sindipan Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria, Produtos de Cacau, Balas, Massas Alimentícias, Biscoitos, Doces e Conservas Alimentícias de Concórdia
SIMC Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de Concórdia
Sinduscon Amai Sindicato da Indústria da Construção Civil da Amai
Sindimec Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico da Região do Alto Uruguai Catarinense
Sindimassas Sindicato da Indústria de Massas Alimentícias e Biscoitos do Sul Catarinense
Sindialimentação Sindicato das Indústrias de Alimentação do Extremo-Oeste Catarinense

Seis industriais foram homenageados pela FiescBrasil

Generated by Feedzy